Busca
 
 

Fale conosco! fale conosco!

Calendário



« DESTAQUES »

Carta ao PARNASO

CURSOS

As Descidas Vertiginosas do Dedo de Deus (2a Edição)

Diretoria e Corpo de Guias

Equipamento individual básico

Recomendações aos Novos Sócios

Carta Aberta aos Montanhistas do Rio de Janeiro e à Sociedade

2ª Carta Aberta aos Montanhistas do Rio de Janeiro e à Sociedade

Conquistas e Regrampeações Realizadas pelos Signatários da 2ª Carta Aberta

3ª Carta Aberta aos Montanhistas do Rio de Janeiro e à Sociedade



Terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Você está em: BoletinsBoletim n°8 - Dez. 2003
Boletim n°8 - Dez. 2003
Escola Técnica de Guias Excursionistas‹‹ anterior 
|
 próxima ››A Estrada e o Violeiro

Retrospecto da 1ª Fase da ETGE/2003

Retrospecto das Atividades Realizadas de 12/10/2002 a 19/10/2003.

Desde que a UNICERJ foi fundada, em abril 1998, foram formados onze Guias nas três Escolas de Guias realizadas até o presente: As ETGE de 1998, 1999 e 2001.

Agora temos a possibilidade de formar mais onze Guias, se todos os alunos da atual Escola de Guias, a ETGE/2003, vierem a completar com êxito seus respectivos Estágios Supervisionados. São eles: Bira, Bonolo, Carlos Alberto, Cela, Celeste, Clety, Fabio, Luís, Paulo Coelho, Porto e Rodrigo. Estes são os Guias Estagiários da ETGE/2003. Nos próximos seis meses cada um deles deverá guiar doze excursões, além de fazer uma palestra na sede sob um tema relacionado com o montanhismo. Vale dizer que em todas as excursões, os alunos estarão sempre acompanhados por um Guia da UNICERJ que atuará como supervisor. Para que possa se formar, o Estagiário precisará ter bom desempenho não apenas na condução da excursão em si, como também no planejamento e organização da mesma e na redação do relatório. Além disso, dentre outros requisitos, deverá ser supervisionado por no mínimo sete Guias da UNICERJ.

É um desafio e tanto. Após um ano de muita dedicação, quando foram realizadas 60 excursões por essa Escola de Guias, relacionadas acima, podemos nos orgulhar do que já foi feito e começar a sonhar com um futuro pleno de realizações para o nosso Clube.

No Boletim número 7, publicado em Outubro de 2002, divulgamos a programação da primeira fase da ETGE/2003 que estava começando com 15 alunos.

Tivemos, então, 12 meses de muitas atividades que envolveram aulas teóricas e práticas, bem como sucessivas reuniões de avaliação, em que todos os envolvidos puderam ter conversas francas e sinceras, amizade fortalecida e valores do montanhismo amador e não competitivo compartilhados. Isso sem falar nas muitas excursões realizadas, nas mais diversas caminhadas e escaladas das nossas montanhas, visando o aprendizado e aprimoramento dos futuros Guias.

Apenas quatro dos 15 alunos que iniciaram a Escola de Guias não passaram para a segunda fase, pois não puderam participar do mínimo dos 70% dos DIAS NA MONTANHA exigidos (os famosos DNM). Mesmo assim Eduardo Silva, Joana Koiller, Mirta Diez e Rodrigo Mendonça estiveram presentes durante quase toda a primeira fase, que acreditamos tenha proporcionado, a cada um, momentos de aprendizado e emoção. De qualquer modo, poderão voltar numa próxima ETGE, quando serão muito bem recebidos, para que possam concluir suas respectivas formações e possam atuar como Guias da UNICERJ.

Seria preciso escrever um livro para reunir o que foi vivenciado por todos os protagonistas dessa ETGE. Vale lembrar que as atividades da Escola de Guias são, em geral, voltadas exclusivamente para os alunos inscritos no curso.

Isso mostra o desafio que é manter uma Escola de Guias. À primeira vista é uma iniciativa que sobrecarrega o Clube. Mas é uma sobrecarga sublime pois assegura, a longo prazo, a própria preservação do montanhismo.

Deve ser lembrado que a Escola de Guias existe para o Clube, o que condiciona suas próprias atividades. Durante uma ETGE o Clube normalmente oferece vários Cursos Básicos de Montanhismo (CBM). Vale dizer que tanto o Curso Básico quanto a Escola de Guias constituem direitos dos sócios estabelecidos como cláusulas pétreas no Estatuto da UNICERJ. Em outras palavras: não são cobradas quaisquer taxas. Basta a pessoa ser sócia do nosso Clube.

Algumas excursões da primeira fase da ETGE/2003 foram programadas e realizadas junto com o CBM. Desse modo os alunos da ETGE, mesmo antes do Estágio Supervisionado, agora iniciado, começaram a desenvolver suas intrínsecas potencialidades de liderança, pois um Guia é antes de mais nada um líder, que exerce suas atividades com maestria, responsabilidade e sabedoria.

Por mais que tenhamos nos dedicado, ainda é muito pouco comparado ao que sonhamos e ao que podemos realizar. Com muito companheirismo, entusiasmo e união pretendemos formar os novos Guias em abril de 2004, quando a UNICERJ completar seis anos de existência. Será um belo presente ao Montanhismo Amador e Não Competitivo, sublime atividade de seres humanos livres e, ao mesmo tempo, transformadores da realidade.

Santa Cruz


Escola Técnica de Guias Excursionistas‹‹ anterior 
|
 próxima ››A Estrada e o Violeiro

Versão para impressão: